Tecnologia Bosch para mobilidade duas rodas

A Bosch desenvolveu o primeiro e mais compacto sistema

antibloqueio (ABS) para motocicletas que garante

mais segurança para todos os motociclistas.

Benefícios

  • Maior estabilidade e conforto na direção
  • Melhor desaceleração possível, e sem bloquear as rodas
  • Menor distância possível de frenagem
  • Redução no número de acidentes graves e fatais

Nas motocicletas com um sistema antibloqueio de frenagem (ABS), a unidade de controle monitora constantemente a velocidade das rodas utilizando sensores específicos para esse fim. Se uma roda ameaça bloquear durante uma frenagem intensa ou em pistas escorregadias, o ABS regula a pressão sobre os freios garantindo uma frenagem otimizada. Assim, mantém-se a estabilidade e a capacidade de manobra da motocicleta, mesmo em condições adversas do solo, como areia, cascalho ou água. O sistema encurta a distância necessária para a motocicleta parar e reduz significativamente o risco de uma queda decorrente da frenagem. Dependendo do modelo, sabe-se que o ABS foi ativado por meio de uma pulsação suave que podem ser sentida na alavanca do freio de mão e do pedal, além de um ruído de engate.

Estudos e pesquisas

Uma em cada seis mortes ocorridas nas estradas da Europa e do Brasil envolve um motociclista. Na Índia e na China, esse número é ainda maior. Além disso, de acordo com o Conselho Europeu da Segurança dos Transportes, o risco de um motociclista sofrer um acidente fatal é 20 vezes maior que a de um motorista fazendo o mesmo percurso de carro.

Neste sentido, o ABS para motocicletas Bosch oferece uma segurança significativamente maior. Diversos estudos científicos mostram que o ABS aumenta consideravelmente a segurança da motocicleta. Um estudo feito pela Vägverket, empresa de administração rodoviária sueca, apresentado em outubro de 2009, confirmou que o ABS pode evitar 38% de todos os acidentes que ocasionem ferimentos físicos e 48% de todos os acidentes graves e fatais.

Uma investigação feita pela Bosch, baseada no GIDAS, o grande banco de dados de acidentes da Alemanha, concluiu que um quarto de todos os acidentes seriam evitados se o sistema ABS tivesse sido instalado na fábrica. E, com a proteção antibloqueio, um terço de tais acidentes teriam desfechos menos graves.

Legislação

Desde 2015, conforme resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), todas as motocicletas comercializadas no Brasil devem sair de fábrica com novos sistemas de frenagem. A regra, publicada no Diário Oficial da União em dezembro 2014, visa dar mais seguranças aos motociclistas e reduzir o número de mortes causadas por acidentes.

Ainda de acordo com a medida, motocicletas de com motores maiores que 300 cc ou com potência igual ou superior a 22 kW (no caso das elétricas) deverão ser equipadas, obrigatoriamente, com freios ABS. Para os modelos de baixa cilindrada, as fabricantes poderão optar pelo sistema CBS ou ABS. Estão dispensados do cumprimento da nova regra os modelos militares, as motocicletas de fabricação artesanal, as elétricas com potência de até 4 kW (que não ultrapassem a velocidade de 50 km/h) e os modelos de uso exclusivo fora de estrada.

A mudança é progressiva e vale tanto para os modelos nacionais quanto para os importados. Até 2019, todos os modelos já deverão estar adequados às novas regras.

Dicas para frear com o ABS

A primeira regra para utilizar o ABS é frear como se não tivesse o sistema ABS.

  • Comece a frear pressionando o pedal o máximo possível;
  • Puxe a alavanca do freio rapidamente, mas sem movimentos bruscos. Quando as pastilhas do freio estiverem totalmente engatadas, aumente rapidamente a pressão de frenagem;
  • Ao fazer uma manobra com frenagem total, freie em um trecho em linha reta, dentro da faixa de controle do ABS. Dependendo do modelo, você sabe que o ABS foi ativado através de uma pulsação suave que pode ser sentida na alavanca do freio de mão e do pedal, bem por meio de um ruído de engate;
  • Ao fazer uma manobra com frenagem total, sempre desengate o câmbio ao mesmo tempo;
  • Ao frear em curvas, aumente a pressão de frenagem suavemente, evitando que a roda dianteira derrape lateralmente;
  • Sempre preste atenção à traseira da motocicleta quando realizar uma manobra de frenagem total;
  • Se a roda traseira levantar, reduza a pressão de frenagem na roda dianteira o mais rapidamente possível. Nestes casos, os sistemas antibloqueio modernos ajudam o motorista. Os ABS para motocicletas Geração 9, da Bosch, têm um recurso inteligente para reduzir a possibilidade do levantamento da roda traseira. Eles foram desenvolvidos para facilitar a frenagem com força total, em todas as situações de emergência, em percursos em linha reta.

O comportamento dos sistemas antibloqueio pode variar em determinadas circunstâncias, dependendo do fabricante do ABS e do tipo de motocicleta. Isto se deve a diferenças no próprio sistema, ao projeto da motocicleta e aos modos de operação do ABS.

A melhor preparação para uma emergência é a prática. Pratique regularmente a frenagem na faixa de controle do ABS. No caso de um incidente grave, isto lhe permitirá utilizar o sistema de frenagem antibloqueio até seu potencial máximo. A melhor forma de praticar é fazer um treinamento de direção segura.

Desenvolvimento técnico

A noção dos sistemas antibloqueio de frenagem já era pesquisada em uma época em que existiam poucos carros e motocicletas. Desde o início do século XX, já eram estudadas formas de evitar que as rodas dos aviões e trens bloqueassem. O primeiro sistema antibloqueio de frenagem para motocicletas chegou ao mercado em 1988, dez anos após sua introdução no mercado de veículos de passageiros. Em 1995, a Bosch iniciou a produção em série do primeiro sistema antibloqueio de frenagem. O ABS geração 9 2L1 pesava consideráveis 4,5 kg.

Naquela época, todos os sistemas de ABS para motocicletas baseavam-se no modelo do setor automotivo. As características de frenagem de um veículo de duas rodas, entretanto, são completamente diferentes das de um automóvel. Por isso, nossos engenheiros desenvolveram o primeiro sistema ABS especialmente projetado para motocicletas, a geração 9. O sistema tem projeto modular, permitindo que seja adaptado a uma ampla variedade de modelos, desde motocicletas leves até as pesadas.